terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Ódio gratuito.

Postado por Gabi Fonseca. às 04:14


As campanhas contra o bullying tomaram seu espaço na mídia nos últimos anos, entretanto alguns episódios ainda ocorrem e nos mostram como há muito que deve ser feito nessa questão. O caso de Amanda Todd ganhou repercussão nas últimas semanas. Ela, uma menina canadense de 15 anos, postou um vídeo contando sua história, um pedido de ajuda para acabar com seu sofrimento.
Quando Amanda tinha 12 anos ela estava em um chat com alguns amigos, um homem começou a elogia-la e depois de um tempo pediu para que ela mostrasse seus seios, ela o fez. Um ano depois este homem voltou a ameaçando e exigindo que ela se mostrasse pra ele, do contrário ele iria divulgar as fotos para os amigos e família de Amanda. Ela resistiu às ameaças e ele espalhou as fotos. Depois disso, a menina foi insultada, seus amigos se afastaram e ela foi constantemente excluída e humilhada, mergulhando em depressão, além de começar a  usar drogas e álcool.
Após um mês, um antigo amigo voltou a conversar com a garota falando que gostava dela, Amanda fragilizada acreditou e acabou aceitando o convite de ir a casa dele enquanto sua namorada viajava. Quando ela, a namorada, descobriu o ocorrido foi até a nova escola de Amanda tirar satisfação, humilhando-a e a agredindo fisicamente. Triste, ela tentou se matar tomando veneno, mas foi socorrida a tempo. O episodio apenas gerou mais ódio contra a menina, começaram a marca-la em fotos de diferentes tipos de venenos, a dizer em redes sociais que ela merecia morrer. Mesmo depois de mudar de cidade as agressões continuaram.
Seu vídeo foi publicado como um pedido de socorro, mas também como um estimulo para as pessoas que passam pelo mesmo problema, na descrição Amanda escreveu: “I hope I can show you guys that everyone has a story, and everyones future will be bright one day, you just gotta pull through. I'm still here aren't I ?” ( Eu espero poder mostrar a vocês que todo mundo tem uma história, e todo mundo terá um futuro brilhante algum dia, você apenas deve superar. Eu continuo aqui, não estou?). Mas os comentários foram demais para ela suportar e no dia 10 de Outubro ela foi encontrada enforcada em seu quarto, dando fim a essa história de perseguição que durou três anos.

Todos sabem que este não foi o primeiro e nem será o último caso, mas é necessário pensar no que gerou esse ódio contra essa menina, ela cometeu um erro, mas por que deve ser julgada pelo resto de sua vida? A internet pode parecer algo inofensivo, o anonimato é algo fácil nesse meio e por isso algumas pessoas se acham no direito de perseguir e insultar os outros. O cyberbullying é um problema sério e necessita ser discutido, os pais precisam prestar atenção ao comportamento de seus filhos e acima de tudo conversar sobre as diferenças e como ninguém deve ser julgado e perseguido por ter cometido um erro. Só assim, casos como o da Amanda poderão ter um final diferente.


ps: Esse artigo de opinião foi escrito por mim e uma professora e já  foi publicado em alguns jornal: O Paraná - Cascavel (PR) - Edição de 26 de outubro de 2012. No 11.119 - Ano 36 - página A2; no Diário MS – Dourados (MS) – Edição de 26 de outubro de 2012, Ano 20 – nº 4958 – página 02 e no Jornal do Povo de Três Lagoas – Três Lagoas (MS) – Edição de 26 de outubro de 2012. nº 5.062 – Ano 63 – página 02.

1 comentários:

Danilo on 24 de janeiro de 2013 09:52 disse...

Achei muito boa postagem Gaby. Eu já sofri com ofensas na escola e sei que é uma coisas que só quem passa pode entender. Infelizmente as pessoas ainda acreditam que podem julgar umas às outras. Mas espero que um dia essa intolerância acabe.

Postar um comentário

 

Coisas Frágeiis Copyright © 2012 Design by Amanda Inácio Vinte e poucos